O Espiritismo - Uma Breve explicação

Palavras de Allan Kardec e dos Espíritos

“O Espiritismo é o oposto do materialismo ( KARDEC, 1857, p. 13 ).

“A Doutrina Espírita ou o Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível. Os adeptos do Espiritismo serão os espíritas, ou, se quiserem, os espiritistas” ( idem, ibidem ).

“O Espiritismo é o resultado de uma convicção pessoal, que os sábios, como indivíduos, podem adquirir, abstração feita da qualidade de sábios ( idem, ibidem. P. 29 ).” ( ler nota no final desta relação).

“O Espiritismo não é da alçada da Ciência.” ( idem )

“Como pretender-se em algumas horas adquirir a Ciência do Infinito? Ninguém, pois, se iluda: o estudo do Espiritismo é imenso...” ( idem, ibidem. P.39 ).

“A Doutrina dos Espíritos não é de concepção humana” (idem, ibidem. p.44).

“A verdadeira Doutrina Espírita está no ensino que os Espíritos deram, e os conhecimentos que esse ensino comporta são por demais profundos e extensos para serem adquiridos de qualquer modo, que não por um estudo perseverante, feito no silêncio e no recolhimento” ( idem, ibidem. p.46).

“O Espiritismo é, pois, o mais potente auxiliar da religião” ( idem, ibidem. p.111 ).

“Nunca dissemos ser de invenção moderna a Doutrina Espírita. Constituindo uma lei da Natureza, o Espiritismo há de ter existido desde a origem dos tempos e sempre nos esforçamos por demonstrar que dele se descobrem sinais na antigüidade mais remota” ( idem, ibidem. p.143).

“O Espiritismo é o mais terrível antagonista do materialismo. Não é, pois, de admirar que tenha por adversários os materialistas” (idem, ibidem. p.478).

“O Espiritismo não é obra de um homem. Ninguém pode inculcar-se como seu criador, pois tão antigo é ele quanto a criação” ( idem, ibidem. p.485).

“O Espiritismo não traz moral diferente da de Jesus” ( idem, ibidem. p.489).

“O Espiritismo não institui nenhuma nova moral; apenas facilita aos homens a inteligência e a prática da do Cristo, facultando fé inabalável e esclarecida aos que duvidam ou vacilam” ( KARDEC, 1864, p.274 ).

Nota: A expressão “abstração feita de”, segundo Napoleão Mendes de Almeida, é de origem francesa e significa “pondo de lado”. Acreditamos que “dispensando” seja também adequado.